Pinturas impermeabilizantes para sua obra: escolha certa

Sabe aquele diferencial que faz toda a diferença? Não é redundância não, é impermeabilização! Um toque de mestre para sua obra!

Umidade é um risco para obras, ela pode causar, mofo, bolor, infiltrações, manchas, rupturas, rachaduras, é um desastre não é mesmo? Por isso cada vez mais se investe em impermeabilização para não deteriorar a estrutura e preservá-la por mais tempo! Ao cuidar da saúde da edificação, se cuida também da saúde dos que nela habitam!

Com isso as tintas impermeabilizantes tem ganhado um grande nicho no mercado, criando espaço para mais uma tecnologia inovadora nas obras, a camada de proteção ajuda por exemplo contra manchas após uma sequência de chuvas que acabam molhando a construção, e especialmente em regiões úmidas, como áreas de serviço, cozinha ou banheiro.

Indicação Custo X Benefício

A escolha dos bons materiais determina a durabilidade do imóvel e o conforto dos moradores, afinal é um investimento. Com esse tipo de tinta, as paredes e fachadas criam uma barreira que impedem o desgaste da ação do tempo e do clima.

 Caso a superfície esteja exposta aos famosos agentes climáticos, sol, chuvas, alvenaria, pré-moldados e reboco tem que preparar para receber a aplicação, pois nesse processo  caso tenha fissuras, ou infiltrações antes, é necessário reparar, inclusive com profissionais especialistas, pois se não reparar, tirar “pela raiz”, pode deixar tudo a perder, e estragar o investimento!

Entretanto, inúmeras são as vantagens de adquirir uma tinta impermeabilizante, veja essas dicas para um bom resultado:

  • É um produto mais encorpado, quase não respinga/escorre;
  • Mais fácil de aplicar, rende mais;
  • Cor dura mais;
  • Costuma-se aplicar até três demãos, com intervalos de até quatro horas entre cada uma; a primeira demão é responsável por selar a superfície, a segunda garante a ação impermeabilizante do produto e a terceira dá o acabamento necessário.
  • Olhe a previsão do tempo, pois deve ser aplicada em dias quentes, o que agiliza o processo de secagem.

Além disso, existem alguns produtos que precisam de outras preparações, como diluição em água, antes da aplicação;  Vale lembrar de seguir as instruções do fabricante na embalagem!

            Lembre-se que esse processo é um investimento para sua obra, escolha bem para conseguir o efeito buscado, conheça as vantagens na Obralar, e proteja sua edificação da melhor forma.

Saiba mais

Cuidados na instalação da caixa d’água

Como falamos nas dicas anteriores a escolha e instalação do reservatório andam juntos para se ter qualidade da água a ser utilizada, por isso vamos ressaltar alguns cuidados nesse processo.

Diferentemente das cisternas, que funcionam abaixo do nível da casa, as caixas necessariamente precisam ficar no ponto alto. Isso porque, quanto mais alto ela for colocada, maior será a pressão da água, ou seja, ela chegará aos tubos com mais força e velocidade. Deve-se ficar a pelo menos 2,5 m do ponto de consumo, para exercer a pressão necessária.

Já o material da mesma vai depender bastante das especificações como local, armazenamento e capacidade do reservatório a se escolher, que falamos anteriormente NESTE LINK (link anterior)

De nada adianta optar por um tamanho pequeno pelo preço, e depois ficar períodos sem água por conta dessa economia sem sentido. E de nada adianta optar por uma estrutura que não suporte sua escolha!

A ESTRUTURA PARA SUSTENTAR: O QUE NÃO PODE FALTAR NA HORA DE INSTALAR

  • O local a ser instalado deve ser forte para suportar o peso, lembre-se do peso da caixa somado com o volume da água dela cheia! Isso previne rupturas!
  • Evite estruturas de madeira e ferro, elas podem sofrer intempéries mais fáceis, como ferrugem e decomposição, tente optar pela base de concreto sendo que o diâmetro da caixa deverá ficar 10 cm distante da borda.
  • Já os tubos e conexões devem ser muito bem acoplados para evitar vazamentos futuros, e causar infiltrações!
  • Atente-se a boia, a entrada desse cano fica sempre na parte superior da caixa-d’água, pode-se instalar uma boia específica para alta pressão ou optar por um regulador de pressão.
  • Já o “ladrão” extravasor de água é uma tubulação responsável pelo escoamento de um casual excesso de água e precisa de atenção, pois serve de alerta de que a boia ou outro componente do reservatório apresenta defeitos que podem ocasionar vazamentos.

LIMPEZA DA CAIXA D’ÁGUA

Outro cuidado fundamental com a caixa d’água é a limpeza, que precisa ser regular, periódica, e é questão de saúde e saneamento básicos. Um procedimento para evitar doenças e garantir a integridade do equipamento. No entanto, esse trabalho não pode ser conduzido por qualquer amador. O ideal é chamar alguém qualificado para executar o serviço e não correr riscos de queda também!

A higienização deve ocorrer a cada 6 meses de uso!

Fique atento, pois existem no mercado produtos e até escovas com cerdas específicas para isso, é importante ainda nesse momento verificar se não existem trincas internas onde fica depositado resíduos, dependendo opte por trocar o reservatório!

E não custa lembrar, mas MANTENHA A CAIXA D’ÁGUA BEM FECHADA, isso evita a proliferação do mosquito da dengue!

Se com tanta dica você já tem a certeza de qual caixa escolher, passe na Obralar e converse com nossos consultores para levar para casa um reservatório que lhe atenda na medida certa, com os melhores preços! Estamos te esperando!

Saiba mais

A escolha da caixa d’água para melhor lhe atender

Uma escolha simples, mas que afetará todo seu cotidiano, afinal quantas pessoas irão usufruir dessa caixa? Qual tamanho e tipo ideal? Localização? Entenda tudo abaixo!

A escolha da caixa d’água parece fácil, desde que faça escolhas que lhe proporcionarão qualidade de moradia e dignidade, afinal estamos falando de água, o bem mais vital e essencial.

CUSTO X BENEFÍCIO NA HORA DA ESCOLHA

Falando de custo-benefício, atualmente o reservatório de polietileno pode ser uma das opções mais baratas e duráveis, entretanto o mercado oferece inúmeros tipos e especificações que falamos abaixo:

  • Aço inoxidável (mais resistente a impactos, corrosão, possui sistemas de vedação para não entrar insetos, esteticamente mais bonito e tem um maior valor agregado);
  • Polietileno (alta durabilidade, flexibilidade na execução do formato e oferece vantagens pela sua resistência contra os raios UV, mais em conta do que a de aço.);
  • Poliéster reforçado (é “personalizada” e com alta capacidade de armazenagem, sua montagem é feita no próprio local, a partir do encaixe de módulos, é mais indicado para indústrias);
  • Fibrocimento (quase extintas no mercado, tem baixa durabilidade e resistência contra impactos, atualmente elas não liberam mais amianto, entretanto caiu em desuso, pois modelos antigos liberavam amianto e outras substâncias prejudiciais à saúde humana.)
  • Fibra de vidro (mesmo material das piscinas de fibra, um modelo mais barato e durável, mas cuidado com impactos, é leve, fácil de instalar, e resistente contra raios UV).

As variações derivam da resistência à corrosão e a possíveis impactos, e variam os preços.  Existe ainda reservatórios com tripla camada, resistentes a raios UV e agentes antioxidantes, e que evitam a passagem de luz que minimiza formação de micro-organismos elevando a qualidade da água armazenada. Tudo isso são tecnologias à favor do consumidor na hora da escolha!

Vale lembrar que o material quanto mais leve facilita a instalação e transporte. Ao contrário da caixa d’água de polietileno, a de fibra de vidro é ideal para quem precisa de grandes reservatórios de água, podendo alcançar uma capacidade de 25 mil litros.

Já o formato mais comum é o de paralelepípedo, mas as redondas facilitam a limpeza, e a de tronco-cônico é o mais indicado, devido ao encaixe da tampa de clique as vezes até sem parafusos, facilitando manuseio e limpeza. E existem modelos mais completos, que já vêm com flange, filtro, boia de caixa d’água, revestimento bactericida e tampa rosqueada.  Diversificando na hora da sua escolha!

Como calcular o tamanho

Existe na construção civil uma “tabela-referência” que define a capacidade mínima de 150 litros diários por habitante, mas trabalhamos com segurança e conforto, afinal temos períodos de mudanças climáticas, escassez, e risco de falta de abastecimento, por isso recomenda-se o armazenamento por dois dias no mínimo, ficando 300 litros por habitante.

Ficando assim o cálculo para saber qual o tamanho ideal:

  •  número de pessoas x 150 ou 200 (litros/pessoa) x 2 (dias). Por exemplo, se 3 pessoas em um imóvel, precisamos no mínimo de uma caixa com 1.200 litros, seguindo esse raciocínio  (3 moradores x 200 litros x 2 dias).

Se de 310, 500, 1000 litros, independente do tamanho a escolha tem que ser bem feita para não ter dor de cabeça. E o efeito só será completo com uma boa instalação, e sabe o que faz toda a diferença? Levar produtos da Obralar, aí a qualidade e preço justo são garantidos nessa casadinha!

Saiba mais

Com a crise hídrica você está seguro com sua tubulação?

A crise hídrica tem tomado conta dos noticiários nesse inverno, mas uma preocupação que assola as obras e edificações é sempre a tubulação, afinal você está seguro com ela? E o que ela tem a ver tubulação com uma crise hídrica?

Oras, primeiro estamos falando do bem mais precioso, a água, e tudo que dela deriva-se ou faz uso, faz com que nos preocupemos e trabalhemos para que seu consumo seja da melhor maneira, por isso as instalações das tubulações são tão importantes para uma edificação. O bom manejo e instalação de cada componente hidráulico faz a diferença, e com uma instalação bem feita não ocorre vazamentos, desperdício, e nem corre o risco de danificar estruturas. Vazamentos são perigosos, pois eles são silenciosos e podem causar grandes danos no local, como apodrecimento das estruturas.

Pensando nisso você se preocupa com a qualidade dos componentes hidráulicos da obra? Sabe que cada item faz a diferença no processo de uso/economia da água, desde o adesivo, boiler, caixa sifonada, joelho, ladrão, ligação flexível, rabicho, pé de crivo, válvula de sucção, registro de gaveta, registro de pressão, sifão, tubos, canos, válvula de alívio. Esses itens estão ok? Você investiu na qualidade deles?

Sabia ainda que, um chuveiro pingando além de ser inconveniente pode causar um desperdício equivalente a mais de 100 litros de água em uma semana?

Sua parede tem infiltração? Seu reservatório/caixa d’água está ok? Então veja alguns problemas comuns hidráulicos que fazem a diferença no consumo e você pode evitar e economizar, outra dica, fique atento a conta de água, se ela aumentou muito procure o que há de errado:

1 – sistema hidrossanitário – água potável/escoar esgoto, na maioria das vezes os problemas poderiam ser evitados ainda na fase de construção;

2 – tubulação mal projetada – deve ser projetada com desempenho e economia, otimizando o caminho da água e com menor pressão ao sair das torneiras. Trajetos devem ser pequenos e funcionais em uma tubulação.

3 – use mais de um registro isso facilita quando existem problemas, você pode fechar de um lugar sem prejudicar o outro; em caso de vazamento é um diferencial;

4 – mau cheiro nas tubulações – vai além da questão olfatória, é questão de saúde também, uma boa instalação com sifão e caixa sifonada, diminui esse risco, e ainda se bem instalado não prejudica o solo e não contamina a água.

Esses são alguns exemplos, afinal os problemas hidráulicos mais comuns podem ser resolvidos se planejados, mas você ficará ainda mais satisfeito se tiver garantia que o serviço contratado será bem realizado e com um bom projeto, a economia e projeção do trabalho te dá garantia de uns 20 anos.

Faça bem suas escolhas agora, para preservar e não ter dor de cabeça depois, o meio ambiente também agradece, afinal pequenos gestos assim, pensam no coletivo, em soluções sustentáveis, e fazem a diferença desde já!

Se você quer segurança na sua tubulação e componentes hidráulicos procure nossos colaboradores da Obralar, eles estão prontos para lhe atender e ajudar!

Saiba mais

Cooktop cabe em qualquer lugar, inclusive no seu bolso!

O fogão não é mais o mesmo! Ele diminuiu, e esse é o primeiro pensamento ao escolher um cooktop: a versatilidade! Ele tem se tornado o queridinho das cozinhas, afinal possui uma infinidade de modelos e opções que cabem em qualquer “cantinho” e em qualquer bolso! Sem contar o tanto que fica bonito, não é mesmo?!

A estrutura compacta do eletrodoméstico desperta inúmeros pontos em uma obra, principalmente onde ele será instalado que fará toda a diferença. Por isso a ascensão do cooktop são as cozinhas planejadas , onde pode ficar solto ou embutido em um mobiliário específico para ele ou bancadas de pedras – ou resistentes ao calor .

Basicamente existem dois modelos nessa classe, os que são usados para o GLP, ou gás de botijão, que se assemelham ao consumo dos fogões tradicionais. E os modelos elétricos e por indução, onde o calor é por resistência elétrica. E fique atento quanto as panelas nesse caso, pois panelas de vidro, cerâmica, barro e alumínio não são compatíveis, somente as de materiais magnéticos, com fundo de ferro fundido ou aço multicamadas.

Sua versatilidade passa ainda pelas cores – branco, vermelho, preto, amarelo, azul  – materiais – inox, vidros, vitrocerâmico – e modelos com diferentes queimadores (chamas) que fazem a diferença no design. Ou seja, tem cooktop para agradar todo mundo! Sem contar na facilidade de ser limpo!

Uma cozinha com um cooktop otimiza o espaço e se encaixa em diversos estilos de decoração, seu único “defeito” é que a maioria dos modelos não tem forno, caso queira o utensílio esse deverá ser adquirido separadamente ou alguns modelos já estão vindo acoplados com um maior valor agregado.

Escolha seu cooktop pelos tamanhos e diversidade dos queimadores, bem como o local a ser instalado, se em cozinhas gourmet, na cozinha externa, em uma varanda, perto da bancada da churrasqueira ou na cozinha com ilha, bancada, corredor, americana, conceito aberto ou normal. Sua versatilidade e modelos cabem em todos ambientes, portanto, o melhor cooktop para você deve ser o que atenderá suas expectativas dentro dessas possibilidades, criatividade e bolso!

Geralmente outro item que acompanha os cooktop são as coifas, mas isso veremos nos próximos posts! Enquanto isso, venha conhecer uma infinidade de produtos e cooktops para você na Obralar, temos o melhor preço e as melhores opções!

Saiba mais

Os tipos de bacias sanitárias

Como falamos no post anterior, se o vaso sanitário ou bacia sanitária está dentro das normas, pode seguir para a escolha do que melhor lhe agrada em design e ao bolso. Sabe-se que os modelos clássicos são mais em conta, já os suspensos tem um maior valor agregado e podem regular a altura na hora da instalação. Você precisa acertar na compra escolhendo o modelo que mais se adapta às suas necessidades.

– Bacia sanitária convencional – mais vendida, tem uma válvula separada e instalada dentro da parede. A desvantagem são os reparos de manutenção por estar dentro da parede e o gasto de água.

– Bacia com caixa acoplada – o valor agregado sobe um pouco, mas tem a vantagem que a caixa fica fora da parede, e o espaço pra instalar é maior. Com a reserva de água, existe uma economia na hora da descarga em vista da anterior, e tem modelos com botão de duplo acionamento para diferenciar os dejetos.

– Bacia suspensa – sua saída é horizontal, e pode ser instalada “mais alta ou baixa” o que é bom para os famosos “atletas de basquete ou pessoas de baixa estatura” ou para PNE, idosos ou PCD. A saída horizontal e não para baixo como os demais, é ideal também para instalações subterrâneas, onde está abaixo do nível de coleta de esgoto e pode aliar com bombas.

– Sistema a vácuo – por último, o mais sustentável, pois tem um sistema de pressão que suga os dejetos, mas também a de maior valor agregado e sua instalação precisa de cuidados específicos!

Já a parte de design dos vasos tem muitos detalhes que fazem a diferença, como o sifão aparente ou vaso carenado – lisinho – que dão sofisticação ao local, aliado a isso hoje as bacias tem cores distintas que fogem do tradicional branco e pode fazer a composição do ambiente decorado!

E não se engane que para por aí, o mercado vem inovando e existem os vasos inteligentes, com duchas higiênicas acopladas no próprio assento, com regulagem de temperatura e até descarga por comando de voz, afinal o futuro é logo ali e aqui na Obralar com tanta variedade de produtos para você! Não menospreze a escolha desse item indispensável em qualquer casa. Não considere apenas o seu valor, com as dicas acima veja o design, a qualidade, conforto e, também, a economia de água, por exemplo.

Ufa, viu quantas opções podem existir de bacias, isso porque nem entramos em detalhes de assentos! Mas se você quer saber isso e muito mais, vá a uma Obralar, nossos colaboradores estão aptos para lhe atender e explicar e ajudar na sua escolha de uma bacia ímpar para seu ambiente! Te esperamos!

Saiba mais

Sanitários: moda, conforto e elegância na sua higiene

Banheiro é sinônimo de elegância, eles ocupam muito mais os espaços e evoluíram com o tempo, atualmente levam um toque todo especial de requinte e sofisticação. E isso tudo passa pela simples escolha do vaso sanitário, da bacia e assento, afinal hoje eles vão além: são tecnológicos, confortáveis e elegantes.

A escolha do sanitário, indispensável nos ambientes, passa ainda pelo local onde estará instalado, se no escritório, lavabo, na suíte, no corredor, a partir disso existe um universo de possibilidades e modelos para a escolha.

A presença de inovações estão tão grandes que as bacias e assentos contam com tecnologia antibacteriana e a tampa tem um sistema de slow close – para se ter um fechamento suave ao mínimo toque – e alguns assentos vem almofadados, impermeáveis e até com massageadores! UOU! Da até vontade de ficar mais tempo no “trono” não é mesmo?!

Com tanta opção a escolha de um bom sanitário fica fácil, o mercado oferece diferentes modelos de bacias, que podem ser até inteligentes. As empresas estão vendendo assim: experiências e unicidade!

Desde as bacias convencionais, em monobloco, caixa acoplada, modelos geométricos, quadrados, clássicos, modelo, acionamento da descarga, capacidade da caixa e o formato, podemos falar de tipos de vaso sanitário no mercado dos convencionais que tem válvula de descarga; o com a caixa acoplada; e os com sistema a vácuo, que está ligado diretamente a sustentabilidade.

Além disso a escolha da bacia deve considerar o comprimento mínimo de 70cm, e altura mínima de 40cm e um espaço a frente de 60 cm para permitir a mobilidade. E tudo isso não é só “dica”, também existem as normas da NBR 15097-1:2011 que traz toda a configuração para que as bacias sanitárias estejam no mercado corretamente, e para seu bom uso tenha uma instalação adequada e segura, veja pela imagem abaixo:

Imagem cedida por https://www.ebanataw.com.br/roberto/index.php

No próximo post vamos especificar os tipos de bacias para facilitar sua escolha e funcionamento!

Saiba mais

Tipos de sanca de gesso

Na nossa última postagem falamos um pouco do universo do gesso, e foi tão gostosa a repercussão que resolvemos dar umas dicas e apresentar alguns tipos de sancas e roda-forro, mostrando uma infinidade de aplicações desse revestimento único e que faz toda a diferença no seu ambiente.

Importante lembrar que o uso de gesso nos ambientes traz uma identidade única a cada espaço, podendo de maneira simples dar uma personalizada no local sem gastar muito, conseguindo um ambiente único e com propostas diferentes. Sem contar que tem as vantagens do acabamento diferenciado que pode corrigir imperfeições do teto, escondendo fios, além de ser um bom isolante térmico!

Pra entender os diferentes tipos de sanca e roda-forros de gesso e o método de modelagem, os inúmeros designer possíveis podem ser listados de diferentes formas, separamos aqui alguns mais comuns: sanca invertida; sanca aberta e podemos ter com iluminação; gesso acartonado, também conhecido como Drywall, que é composto de gesso, aditivos e uma camada dupla de papel cartão, que o torna mais resistente a rachaduras.

As aplicações também podem passar por pontos de luz e rasgos fazendo e compondo estilos únicos e acolhedores em cada projeto. As sancas de gesso são um tipo de forro que combina com qualquer cômodo da sua casa, eles combinam de forma harmônica com qualquer espaço.

Já para os mais sofisticados temos as sancas curvilíneas, linhas arredondadas que trazem um ar moderno. Ou ainda as sancas em ilha, que é um detalhe que faz a diferença, criando uma área mais baixa e portanto mais aconchegante e intimista seja em cima de uma mesa de jantar, ou da cama.

Seja qual for o estilo escolhido, temos a certeza que ficará impecável, elegante, clean e arrojado, afinal o gesso proporciona tudo isso! E gesso você já sabe onde encontrar não é mesmo, na Obralar tem de tudo pro seu acabamento sair perfeito e ter sancas belíssimas!

Saiba mais

Gesso: economia e beleza na sua obra

Moderno, versátil e mais barato, tudo que procuramos para uma obra não é mesmo? E o gesso é! Ele é um aliado de arquitetos, designers e engenheiros no processo de construção e tem ganhado quase todos acabamentos das obras e vamos te contar o porquê você também deve optar por essa escolha inteligente!

O gesso é um material barato por isso os benefícios são maiores que o custo!

Seu uso é viável, técnica e financeiramente, seja na construção, reforma ou decoração, ele está presente em quase toda obra de construção civil.

O gesso corrido pode ser utilizado para revestir as paredes e o teto, substituindo o reboco com argamassa tradicional de cimento e areia, saindo bem mais em conta!

Ele é indispensável para o acabamento de tetos e revestimento de forros, podendo ser empregado também como parede, dono de uma versatilidade única!  E não se limita aí, as placas de gesso podem ser utilizadas para fazer paredes e rebaixo de teto.

Nas paredes são conhecidas como ‘Drywall’ e tem baixo custo, é uma construção limpa, rápida e ótima para reformas. Já para o teto, consegue-se fazer rebaixo com detalhes para gerar a iluminação desejada.

E o gesso está em alta, um item de luxo, segundo a Designer de Interiores, Flávia Manzan, o gesso se tornou um “queridinho para rebaixo de detalhes na iluminação, sem contar que atualmente o que está em alta é utilizar placas de gesso 3D, que imitam revestimentos nobres como ‘castelato’ e o que o designer desenhar”.

O gesso é inspiração pra criatividade por isso não para por aí, segundo profissionais da construção civil, o gesso para o roda-teto propõe um acabamento único e diferenciado entre a junção da parede e teto.  Já para o banheiro, há de se ter cuidado e preparar o gesso utilizado para que seja resistente à água usando impermeabilizantes. Existem ainda as aplicações do forro de gesso removível, utilizados em ambientes comerciais, hospitais.

Suas aplicações são tantas que vocês ainda terão diversas dicas sobre gesso aqui no blog, sem contar com a preciosa ajuda dos colaboradores da Obralar que estão aptos a lhe auxiliar nesse processo. No próximo post iremos falar sobre os tipos de sanca em gesso e te dar aquela dica de decor maravigold!

Te esperamos!

Saiba mais

Espuma expansiva: como funciona

Existem detalhes que fazem toda a diferença na obra não é mesmo?

E um desses detalhes é a espuma expansiva, que muitos apostam como febre na construção. Afinal, você sabe como funciona e como suas aplicações farão a diferença na obra? Vamos te contar agora!

Utilizada desde a fixação e isolamentos daquilo que precisa de vedação, como encanamentos, janelas, batentes e calefação, a espuma tem inúmeras utilidades na obra. É um selante adesivo! E dá a diferença no acabamento do todo.

A espuma tem densidades e graus de dureza diferentes para cada aplicação, e isso só é possível pois, é fabricada de poliuretano, uma reação química de isocianato e poliol.

Ela é tão resistente, mas tão resistente que é eficiente contra chuvas, correntes de ar e ventos, poeira e até a neve, pois é um material a prova d’água e resistente ao fogo com propriedades térmicas e acústicas! Podendo ser utilizada em qualquer lugar do mundo!

CUSTO X BENEFÍCIO

Seu custo e benefício são compatíveis, sem contar que na Obralar tem condição especial de valores pra você! Geralmente as embalagens vem com bicos de pulverização, para facilitarem a aplicação o que rende muito o processo.

Seu rendimento varia de 11L de espuma a cada 500ml do produto. Já sua secagem ao toque já se dá em 40 minutos e a secagem total em 12 horas!

A espuma expansiva é um material econômico, mas tem que utilizar o produto de uma só vez, se não endurece, entope o bico e não consegue reutilizar, exceto algumas marcas em que caso precise guardar para reutilização, deve-se dobrar a ponta para evitar a entrada de ar e utilizar após 1 ou 2 dias.

APLICAÇÃO

Uma dica, agite bem antes de aplicar, e mantenha o bico de cabeça para baixo, facilitando que a espuma fique mais perto do bico de saída. Já para aplicar o produto deve se ter o local limpo e úmido, inclusive se der borrifar água antes da aplicação no local.

Escolha espuma expansiva na sua obra, além de reduzir tempo e ter praticidade para aplicar os custos são menores do que comprar outros materiais. Gostou da dica? Venha para a Obralar e adquira sua espuma expansiva, aqui temos uma variedade de marcas para melhor lhe atender! Te esperamos!

Saiba mais